Pergunta à Comissão: O controlo da indústria farmacêutica sobre o financiamento da UE para investigação científica

Pergunta à Comissão: O controlo da indústria farmacêutica sobre o financiamento da UE para investigação científica

  • Quarta-feira, 27 de Maio de 2020

  •      A+  A-

Vê aqui a pergunta de Francisco Guerreiro à Comissão Europeia e respetiva resposta sobre o controlo da indústria farmacêutica no financiamento da União Europeia (UE) para investigação científica.

Assunto: O controlo da indústria farmacêutica sobre o financiamento da UE para investigação científica 

As ONG «Global Health Advocates» e «Corporate Europe Observatory» concluíram um estudo que indica que as grandes farmacêuticas que estão envolvidas em parcerias público‑privadas com a UE negligenciaram áreas de investigação para a saúde humana que necessitavam (e necessitam) de financiamento significativo, preferindo investir, ao invés, em projetos que lhes são comercialmente mais lucrativos.

Dentro destas áreas negligenciadas, encontra-se a prevenção de epidemias e o estudo indica que as farmacêuticas impediram uma investigação sobre coronavírus proposta pela UE em 2018. Estamos, assim, claramente, perante uma situação em que a vontade das grandes farmacêuticas prevalece sobre a da UE. Poderá a Comissão esclarecer: 

1. Quais os critérios utilizados para a seleção dos projetos a serem financiados por estas parcerias público‑privadas? 

2. Como se realizou entre a UE e a EFPIA («European Federation of Pharmaceutical Industries and Associations»), em termos processuais, a desconsideração do pedido da UE de 2018 para o financiamento arrecadado ser utilizado para estudar o coronavírus? 

3. No caso de a UE ter concordado com a decisão das farmacêuticas de não investir nas áreas que a própria UE sugeriu, qual o fundamento para tal?

 

Resposta escrita

 

1. Os tópicos dos futuros convites à apresentação de propostas da Iniciativa sobre Medicamentos Inovadores (IMI) são debatidos nos seus Grupos de Governação Estratégica, compostos por representantes de empresas, da Comissão, do Gabinete de Programa da IMI e do Comité Científico da IMI. A Comissão e o Comité Científico também podem sugerir diretamente à indústria farmacêutica áreas de investigação relacionadas com necessidades em matéria de saúde(1). Após uma ampla consulta(2), os tópicos dos convites à apresentação de propostas são aprovados pelo Conselho de Administração, estando os direitos de voto igualmente repartidos entre a Comissão e a indústria farmacêutica. Os projetos são selecionados para financiamento na sequência de uma avaliação por peritos externos(3), respeitando as regras aplicáveis aos projetos do Horizonte 2020(4).

2. O debate realizado não estava especificamente relacionado com a investigação sobre o coronavírus. Em 2017, a Comissão propôs um projeto de tópico relativo a investigação destinada a apoiar a tomada de decisões em matéria de licenciamento de vacinas, a fim de facilitar o desenvolvimento e a aprovação regulamentar de vacinas contra agentes patogénicos prioritários, na medida do possível, ainda antes da ocorrência de um surto real. Após uma série de debates com a indústria farmacêutica, esta ideia de tópico acabou por não ser aceite pelas empresas da Federação Europeia das Associações das Indústrias Farmacêuticas. No entanto, a Empresa Comum «Iniciativa sobre Medicamentos Inovadores 2» está a levar a cabo projetos de investigação importantes consentâneos com os objetivos supramencionados(5),(6). 

3. A Empresa Comum «Iniciativa sobre Medicamentos Inovadores 2» é uma parceria público-privada, em que a Comissão e a indústria farmacêutica têm direitos de voto iguais, pelo que necessitam de chegar a acordo sobre o tópico proposto antes da sua adoção. Além disso, no âmbito do programa Horizonte 2020, a Comissão dispõe de vários mecanismos para financiar a investigação no domínio da saúde, em particular o orçamento para projetos de colaboração ao abrigo do desafio societal «saúde», no montante de cerca de 7,5 mil milhões de EUR. No âmbito da IMI, foram investidos mais de 1 000 milhões de EUR em investigação no domínio das doenças infeciosas(7).

 

(1)       Entre os exemplos de áreas que se traduziram em tópicos concretos de convites à apresentação de propostas contam-se a resistência antimicrobiana, as doenças infeciosas (incluindo o vírus Ébola), terapias avançadas e projetos intersetoriais que reúnem setores do diagnóstico e da indústria farmacêutica.

(2)       Incluindo com os Estados-Membros.

(3)       Para uma explicação pormenorizada do processo, consultar:

https://www.imi.europa.eu/about-imi/how-imi-works

(4)       Desafio societal n.° 1 do programa Horizonte 2020: Saúde, alterações demográficas e bem-estar.

(5)       A título de exemplo, veja-se o segundo tópico do 20.° convite à apresentação de propostas da Empresa Comum IMI2 (Inovações para acelerar o desenvolvimento e a produção de vacinas), que inclui a modelação matemática/in silico de doenças infeciosas e a conceção de estudos clínicos baseados em modelos de indução de resposta em humanos. Outros projetos relevantes da IMI são, nomeadamente, o BioVacSafe , que visa desenvolver ferramentas para acelerar e melhorar os ensaios e a monitorização da segurança das vacinas, o ADVANCE , que se centra na facilitação e na rápida disponibilização de dados clínicos sobre as vacinas, com vista a ajudar as autoridades de saúde pública a tomar decisões relativamente a estratégias de vacinação, e o VAC2VAC , que incide no desenvolvimento de testes de vacinas alternativos in vitro e sem recurso a cobaias.

(6)       Projetos da IMI que já estão a ajudar a combater a COVID-19:

https://www.imi.europa.eu/news-events/newsroom/meet-imi-projects-already-helping-fight-covid-19

(7)       No que respeita a doenças infeciosas (incluindo investigação sobre a resistência antimicrobiana e vacinas), desde 2008, já foi autorizado um elevado montante através de projetos da IMI, com um orçamento total superior a 1 000 milhões de EUR (conjuntamente para a Empresa Comum IMI1 e a Empresa Comum IMI2, somando as contribuições da UE e da indústria farmacêutica)..


Partilhar artigo

A ler também...

Francisco Guerreiro questiona Ministra da Agricultura portuguesa sobre transporte de animais
  • Animais
  • Presidência do Conselho da UE
  • Francisco Guerreiro questiona Ministra da Agricultura portuguesa sobre transporte de animais

    Quinta-feira, 25 de Fevereiro de 2021
    O eurodeputado Francisco Guerreiro (Verdes/ALE) questionou ontem a Ministra da Agricultura de Portugal, Maria do Céu Antunes, sobre o compromisso da Presidência Portuguesa no Conselho da União Europeia (PPUE) no que diz respeito ao bem-estar dos animais durante o Transporte.
    LER MAIS
    Espanha falha em respeitar medidas de bem-estar animal no transporte de animais vivos
  • Animais
  • Espanha falha em respeitar medidas de bem-estar animal no transporte de animais vivos

    Segunda-feira, 22 de Fevereiro de 2021
    Membros do intergrupo para o Bem-Estar Animal do Parlamento Europeu alertaram para falhas por parte das autoridades espanholas no respeito das medidas para o bem-estar animal nas embarcações Elbeik e Karim Allah.
    LER MAIS
    Novo Fundo Europeu dos Assuntos Marítimos e das Pescas rejeitado pelos Verdes/ALE em PECH
  • Agricultura, Mar e Florestas
  • Novo Fundo Europeu dos Assuntos Marítimos e das Pescas rejeitado pelos Verdes/ALE em PECH

    Segunda-feira, 22 de Fevereiro de 2021
    Francisco Guerreiro votou hoje contra o acordo sobre o Fundo Europeu dos Assuntos Marítimos, das Pescas e da Aquicultura (FEAMPA) que foi aprovado pela Comissão das Pescas (PECH).
    LER MAIS
    Guerreiro vota a favor de INI sobre impacto do lixo marinho
  • Agricultura, Mar e Florestas
  • Guerreiro vota a favor de INI sobre impacto do lixo marinho

    Segunda-feira, 22 de Fevereiro de 2021
    Hoje, na Comissão das Pescas (PECH), Francisco Guerreiro (Verdes/ALE) votou a favor deste importante relatório de iniciativa (INI) sobre o impacto do lixo marinho nas pescas. Este relatório, para o qual o eurodeputado foi relator-sombra, deve ser aprovado, mais tarde, em Sessão Plenária no Parlamento Europeu.
    LER MAIS
    Francisco Guerreiro desafia Comité das Regiões a pronunciar-se sobre o RBI
  • Rendimento Básico Incondicional
  • Francisco Guerreiro desafia Comité das Regiões a pronunciar-se sobre o RBI

    Quinta-feira, 18 de Fevereiro de 2021
    O eurodeputado Francisco Guerreiro, Verdes/Aliança Livre Europeia (Verdes/ALE), incentivou hoje a instituição europeia do Comité das Regiões a pronunciar-se sobre o Rendimento Básico Incondicional (RBI).
    LER MAIS
    Guerreiro pede à UNESCO que trave destruição da Laurissilva
  • Ambiente
  • Guerreiro pede à UNESCO que trave destruição da Laurissilva

    Quarta-feira, 17 de Fevereiro de 2021
    Francisco Guerreiro pede à UNESCO que impeça a intenção de pavimentar quase 10 quilómetros na floresta Laurissilva.
    LER MAIS
    Guerreiro pede a Presidente da FIFA que seja garantida a igualdade de género no Mundial de Futebol
  • Igualdade de género
  • Guerreiro pede a Presidente da FIFA que seja garantida a igualdade de género no Mundial de Futebol

    Terça-feira, 16 de Fevereiro de 2021
    Vários eurodeputados expressaram uma forte preocupação com a realização do Campeonato Mundial de Futebol de 2022 no Qatar, nomeadamente, devido às restrições aos direitos das mulheres aplicadas neste país.
    LER MAIS
    Francisco Guerreiro e 64 outros eurodeputados apelam à suspensão do Acordo comercial com o Mercosul
  • Acordos comerciais
  • Francisco Guerreiro e 64 outros eurodeputados apelam à suspensão do Acordo comercial com o Mercosul

    Quinta-feira, 11 de Fevereiro de 2021
    Francisco Guerreiro reuniu outros 64 eurodeputados para pedir a suspensão do Acordo Comercial com o Mercosul durante a Presidência Portuguesa da União Europeia.
    LER MAIS
    Guerreiro quer impedir uso enganoso do termo 'natural' em produtos alimentares
  • Saúde
  • Guerreiro quer impedir uso enganoso do termo 'natural' em produtos alimentares

    Quarta-feira, 10 de Fevereiro de 2021
    Sob iniciativa do eurodeputado Francisco Guerreiro (Verdes/ALE), Membros do Parlamento Europeu querem acabar com o uso indevido da palavra ‘natural’ em produtos alimentares, pedindo à Comissão Europeia (CE) que a legislação alimentar da União Europeia defina o que pode ser considerado como um alimento ‘natural’.
    LER MAIS
    Verdes apelam ao acesso global e equitativo das vacinas da Covid-19
  • Covid-19
  • Saúde
  • Sessão Plenária
  • Verdes/ALE
  • Verdes apelam ao acesso global e equitativo das vacinas da Covid-19

    Quarta-feira, 10 de Fevereiro de 2021
    O Grupo Parlamentar Verdes/ALE pede um acesso global e equitativo à vacina da Covid-19, um aumento massivo e apoio governamental para a sua produção, uma estratégia de contenção europeia, levantamento temporário de direitos de patentes, divulgação de contratos com fabricantes de vacinas e sistemas europeus procedimentos abrangentes para testar as mutações do vírus. Tudo com carácter de urgência.
    LER MAIS

    mais notícias

    Não encontras o que procuras?