Pergunta à Comissão: Experiências com animais: ensaios em países terceiros

Pergunta à Comissão: Experiências com animais: ensaios em países terceiros

  • Sexta-feira, 24 de Abril de 2020

  •      A+  A-

Veja aqui a pergunta do Francisco Guerreiro à Comissão Europeia e respetiva resposta sobre experiências com animais e ensaios em países terceiros.

Assunto: Experiências com animais: ensaios em países terceiros

Segundo o relatório de 2019, publicado em 5 de fevereiro de 2020, sobre os dados estatísticos relativos à utilização de animais para fins científicos nos Estados-Membros da União Europeia, entre 2015 e 2017, realizou-se um total de 82 895 ensaios para preencher os requisitos da legislação de países terceiros, entre os quais 20 868 em coelhos (20 % de todos os ensaios regulamentares foram realizados em coelhos durante o período referido), 5 180 em porquinhos-da-índia, 46 em cães e 45 em primatas.

Poderá a Comissão confirmar se em algum dos ensaios em que se utilizaram coelhos foram testadas a pirogenicidade, irritações cutâneas ou oculares, havendo alternativas na UE que não envolvem animais?

Poderá explicar o porquê de se recorrer a animais para satisfazer requisitos legislativos de países terceiros, quando existe um método alternativo reconhecido na legislação da UE, bem como o que tem feito para prevenir que tal aconteça?

 

Resposta escrita

 

Dos 20 686 casos de utilização de coelhos em 2017 para preencher os requisitos regulamentares de países terceiros, 9 703 envolveram ensaios de pirogenicidade, 108 ensaios de irritação/corrosão ocular e 483 ensaios de irritação/corrosão cutânea.

A Diretiva 2010/63/UE(1) não estabelece qualquer distinção entre os ensaios destinados a preencher os requisitos regulamentares da UE e de países terceiros. Uma vez reconhecido ao abrigo da legislação da União outro método ou estratégia de ensaio para obter os resultados pretendidos que não implique a utilização de animais vivos, deixam de se poder utilizar procedimentos com animais. A diretiva foi transposta para as legislações nacionais e os Estados-Membros são responsáveis pela sua aplicação.

Em alguns casos, como acontece com a corrosão/irritação cutânea/ocular, os métodos alternativos têm limitações quanto aos efeitos que podem prever, o que faz com que não sejam adequados para o ensaio de determinadas substâncias ou aplicações. Alguns resultados em relação aos olhos podem ser inconclusivos e exigir estudos de confirmação in vivo, enquanto certos domínios de regulamentação (p. ex.: os dispositivos médicos) ainda exigem ensaios com animais. Antes que um produto biológico possa ser utilizado, é necessária, por razões regulamentares, uma validação bem sucedida da adequação do método alternativo no que respeita ao produto em causa. É o caso dos ensaios de pirogenicidade in vitro. 

As limitações acima descritas poderão explicar em parte que se continuem a utilizar animais para esses fins.

A Comissão tem vindo a recordar repetidamente aos Estados-Membros as obrigações jurídicas que lhes incumbem. Foram emitidas orientações adicionais e é incentivada a colaboração entre as autoridades regulamentares. Alguns Estados-Membros estão a tomar medidas específicas para melhorar a situação. A Comissão discutiu também estas questões com a Agência Europeia dos Produtos Químicos (ECHA), que, no contexto dos ensaios realizados ao abrigo do regulamento relativo ao registo, avaliação, autorização e restrição dos produtos químicos(2) e no quadro da verificação da exaustividade dos processos de registo desses mesmos produtos químicos, exige que a utilização de animais seja justificada, quando ocorra.

 

(1)       Artigo 13.°, n.° 1, da Diretiva 2010/63/UE do Parlamento Europeu e do Conselho, de 22 de setembro de 2010, relativa à proteção dos animais utilizados para fins científicos, JO L 276 de 20.10.2010, p. 33.

(2)       Regulamento (CE) n.° 1907/2006 do Parlamento Europeu e do Conselho, de 18 de dezembro de 2006, relativo ao registo, avaliação, autorização e restrição dos produtos químicos (REACH), JO L 396 de 30.12.2006.


Partilhar artigo

A ler também...

1 ano como independente: Reforço da representação ecologista no Parlamento Europeu
  • Ambiente
  • Direitos Sociais
  • Lei do Clima
  • Política Agrícola Comum
  • Verdes/ALE
  • 1 ano como independente: Reforço da representação ecologista no Parlamento Europeu

    Quarta-feira, 28 de Julho de 2021
    O último ano do deputado Francisco Guerreiro como membro independente do Parlamento Europeu ficou marcado pelo trabalho em volta da Política Agrícola Comum, do Fundo Europeu dos Assuntos Marítimos, das Pescas e da Aquicultura e da Lei do Clima.
    LER MAIS
    Guerreiro questiona Comissão sobre financiamento europeu de incineradora nos Açores
  • Ambiente
  • Guerreiro questiona Comissão sobre financiamento europeu de incineradora nos Açores

    Segunda-feira, 12 de Julho de 2021
    O eurodeputado dos Verdes/Aliança Verde Europeia (Verdes/ALE), Francisco Guerreiro, questionou a Comissão Europeia (CE) sobre o financiamento europeu da construção de uma incineradora na ilha de São Miguel, Açores.
    LER MAIS
    PAC: emenda para rejeitar fundos às touradas foi descartada em trílogos
  • Animais
  • PAC: emenda para rejeitar fundos às touradas foi descartada em trílogos

    Sexta-feira, 09 de Julho de 2021
    Foi descartada, esta semana, uma emenda introduzida pelo eurodeputado dos Verdes/Aliança Livre Europeia (Verdes/ALE) e Vice-Presidente da Comissão da Agricultura e do Desenvolvimento Rural (AGRI), Francisco Guerreiro, sobre a tauromaquia.
    LER MAIS
    Francisco Guerreiro debate alteração dos sistemas alimentares da ONU com WWF
  • Agricultura, Mar e Florestas
  • Ambiente
  • Francisco Guerreiro debate alteração dos sistemas alimentares da ONU com WWF

    Quinta-feira, 08 de Julho de 2021
    O eurodeputado Francisco Guerreiro foi um dos participantes do ciclo de debates da Associação Natureza Portugal em colaboração com a World Wide Fund For Nature (ANPIWWF).
    LER MAIS
    Fundo dos Assuntos Marítimos e das Pescas aprovado com voto contra dos Verdes/ALE
  • Agricultura, Mar e Florestas
  • Ambiente
  • Sessão Plenária
  • Verdes/ALE
  • Fundo dos Assuntos Marítimos e das Pescas aprovado com voto contra dos Verdes/ALE

    Quarta-feira, 07 de Julho de 2021
    O Parlamento Europeu aprovou hoje o acordo sobre o Fundo Europeu dos Assuntos Marítimos, das Pescas e da Aquicultura (FEAMPA). Enquanto relator-sombra pelo Grupo dos Verdes/ALE, o eurodeputado Francisco Guerreiro introduziu uma emenda para a rejeição do acordo, porém, a mesma foi chumbada por 516 votos contra e apenas 143 a favor.
    LER MAIS
    Guerreiro preside reunião do Intergrupo para o Bem-Estar e Conservação dos Animais
  • Animais
  • Verdes/ALE
  • Guerreiro preside reunião do Intergrupo para o Bem-Estar e Conservação dos Animais

    Quinta-feira, 01 de Julho de 2021
    O eurodeputado dos Verdes/Aliança Livre Europeia presidiu hoje a reunião do Intergrupo para o Bem-Estar e Conservação dos Animais sobre o ‘Relatório de Implementação sobre Bem-Estar dos Animais de Criação’ pelo qual é também relator-sombra.
    LER MAIS
    Comissão Europeia elimina jaulas na pecuária até 2027
  • Animais
  • Comissão Europeia elimina jaulas na pecuária até 2027

    Quarta-feira, 30 de Junho de 2021
    A Comissão Europeia (CE) comprometeu-se hoje a eliminar gradualmente as jaulas na pecuária, em toda a União Europeia (UE), estudando a possibilidade de a proibição entrar em vigor em 2027. A proposta legislativa vai ser apresentada até ao fim de 2023, juntamente com a revisão da legislação de bem-estar animal, já prometida na estratégia política alimentar da UE, a Estratégia ‘Do Prado ao Prato’.
    LER MAIS
    Fim da Presidência portuguesa: (In)Ação climática e acordo na Política Agrícola Comum ditam avaliação negativa
  • Presidência do Conselho da UE
  • Fim da Presidência portuguesa: (In)Ação climática e acordo na Política Agrícola Comum ditam avaliação negativa

    Quarta-feira, 30 de Junho de 2021
    Esta quarta-feira, dia 30 de junho, termina o semestre português na Presidência do Conselho da União Europeia. Apesar de alguns pontos positivos, nomeadamente em matérias orçamentais e de transparência fiscal (e.g. acordo sobre a Diretiva de Divulgação Pública de Informações por País) houve um fracasso generalizado no que concerne a matérias climáticas e no panorama internacional, nomeadamente no relacionamento com a China e com os países do Mercosul.
    LER MAIS
    Guerreiro participa em conferência sobre qualidade alimentar
  • Agricultura, Mar e Florestas
  • Guerreiro participa em conferência sobre qualidade alimentar

    Terça-feira, 29 de Junho de 2021
    O eurodeputado Francisco Guerreiro participou hoje na conferência 'Capacitar Organizações de Consumidores: Rumo a uma abordagem harmonizada para lidar com a dupla qualidade em produtos alimentícios' (ECO, na sua sigla em inglês) na qual falou do combate à dupla qualidade alimentar, na União Europeia.
    LER MAIS
    SAFE: Francisco Guerreiro debate qualidade dos alimentos
  • Política Agrícola Comum
  • SAFE: Francisco Guerreiro debate qualidade dos alimentos

    Terça-feira, 29 de Junho de 2021
    O eurodeputado Francisco Guerreiro foi um dos oradores da conferência da SAFE "Dual Food Quality: Empowering Consumer Organizations".
    LER MAIS

    mais notícias

    Não encontras o que procuras?