Pergunta à Comissão: Experiências com animais: ensaios em países terceiros

Pergunta à Comissão: Experiências com animais: ensaios em países terceiros

  • Sexta-feira, 24 de Abril de 2020

  •      A+  A-

Veja aqui a pergunta do Francisco Guerreiro à Comissão Europeia e respetiva resposta sobre experiências com animais e ensaios em países terceiros.

Assunto: Experiências com animais: ensaios em países terceiros

Segundo o relatório de 2019, publicado em 5 de fevereiro de 2020, sobre os dados estatísticos relativos à utilização de animais para fins científicos nos Estados-Membros da União Europeia, entre 2015 e 2017, realizou-se um total de 82 895 ensaios para preencher os requisitos da legislação de países terceiros, entre os quais 20 868 em coelhos (20 % de todos os ensaios regulamentares foram realizados em coelhos durante o período referido), 5 180 em porquinhos-da-índia, 46 em cães e 45 em primatas.

Poderá a Comissão confirmar se em algum dos ensaios em que se utilizaram coelhos foram testadas a pirogenicidade, irritações cutâneas ou oculares, havendo alternativas na UE que não envolvem animais?

Poderá explicar o porquê de se recorrer a animais para satisfazer requisitos legislativos de países terceiros, quando existe um método alternativo reconhecido na legislação da UE, bem como o que tem feito para prevenir que tal aconteça?

 

Resposta escrita

 

Dos 20 686 casos de utilização de coelhos em 2017 para preencher os requisitos regulamentares de países terceiros, 9 703 envolveram ensaios de pirogenicidade, 108 ensaios de irritação/corrosão ocular e 483 ensaios de irritação/corrosão cutânea.

A Diretiva 2010/63/UE(1) não estabelece qualquer distinção entre os ensaios destinados a preencher os requisitos regulamentares da UE e de países terceiros. Uma vez reconhecido ao abrigo da legislação da União outro método ou estratégia de ensaio para obter os resultados pretendidos que não implique a utilização de animais vivos, deixam de se poder utilizar procedimentos com animais. A diretiva foi transposta para as legislações nacionais e os Estados-Membros são responsáveis pela sua aplicação.

Em alguns casos, como acontece com a corrosão/irritação cutânea/ocular, os métodos alternativos têm limitações quanto aos efeitos que podem prever, o que faz com que não sejam adequados para o ensaio de determinadas substâncias ou aplicações. Alguns resultados em relação aos olhos podem ser inconclusivos e exigir estudos de confirmação in vivo, enquanto certos domínios de regulamentação (p. ex.: os dispositivos médicos) ainda exigem ensaios com animais. Antes que um produto biológico possa ser utilizado, é necessária, por razões regulamentares, uma validação bem sucedida da adequação do método alternativo no que respeita ao produto em causa. É o caso dos ensaios de pirogenicidade in vitro. 

As limitações acima descritas poderão explicar em parte que se continuem a utilizar animais para esses fins.

A Comissão tem vindo a recordar repetidamente aos Estados-Membros as obrigações jurídicas que lhes incumbem. Foram emitidas orientações adicionais e é incentivada a colaboração entre as autoridades regulamentares. Alguns Estados-Membros estão a tomar medidas específicas para melhorar a situação. A Comissão discutiu também estas questões com a Agência Europeia dos Produtos Químicos (ECHA), que, no contexto dos ensaios realizados ao abrigo do regulamento relativo ao registo, avaliação, autorização e restrição dos produtos químicos(2) e no quadro da verificação da exaustividade dos processos de registo desses mesmos produtos químicos, exige que a utilização de animais seja justificada, quando ocorra.

 

(1)       Artigo 13.°, n.° 1, da Diretiva 2010/63/UE do Parlamento Europeu e do Conselho, de 22 de setembro de 2010, relativa à proteção dos animais utilizados para fins científicos, JO L 276 de 20.10.2010, p. 33.

(2)       Regulamento (CE) n.° 1907/2006 do Parlamento Europeu e do Conselho, de 18 de dezembro de 2006, relativo ao registo, avaliação, autorização e restrição dos produtos químicos (REACH), JO L 396 de 30.12.2006.


Partilhar artigo

A ler também...

Francisco Guerreiro questiona Ministra da Agricultura portuguesa sobre transporte de animais
  • Animais
  • Presidência do Conselho da UE
  • Francisco Guerreiro questiona Ministra da Agricultura portuguesa sobre transporte de animais

    Quinta-feira, 25 de Fevereiro de 2021
    O eurodeputado Francisco Guerreiro (Verdes/ALE) questionou ontem a Ministra da Agricultura de Portugal, Maria do Céu Antunes, sobre o compromisso da Presidência Portuguesa no Conselho da União Europeia (PPUE) no que diz respeito ao bem-estar dos animais durante o Transporte.
    LER MAIS
    Espanha falha em respeitar medidas de bem-estar animal no transporte de animais vivos
  • Animais
  • Espanha falha em respeitar medidas de bem-estar animal no transporte de animais vivos

    Segunda-feira, 22 de Fevereiro de 2021
    Membros do intergrupo para o Bem-Estar Animal do Parlamento Europeu alertaram para falhas por parte das autoridades espanholas no respeito das medidas para o bem-estar animal nas embarcações Elbeik e Karim Allah.
    LER MAIS
    Novo Fundo Europeu dos Assuntos Marítimos e das Pescas rejeitado pelos Verdes/ALE em PECH
  • Agricultura, Mar e Florestas
  • Novo Fundo Europeu dos Assuntos Marítimos e das Pescas rejeitado pelos Verdes/ALE em PECH

    Segunda-feira, 22 de Fevereiro de 2021
    Francisco Guerreiro votou hoje contra o acordo sobre o Fundo Europeu dos Assuntos Marítimos, das Pescas e da Aquicultura (FEAMPA) que foi aprovado pela Comissão das Pescas (PECH).
    LER MAIS
    Guerreiro vota a favor de INI sobre impacto do lixo marinho
  • Agricultura, Mar e Florestas
  • Guerreiro vota a favor de INI sobre impacto do lixo marinho

    Segunda-feira, 22 de Fevereiro de 2021
    Hoje, na Comissão das Pescas (PECH), Francisco Guerreiro (Verdes/ALE) votou a favor deste importante relatório de iniciativa (INI) sobre o impacto do lixo marinho nas pescas. Este relatório, para o qual o eurodeputado foi relator-sombra, deve ser aprovado, mais tarde, em Sessão Plenária no Parlamento Europeu.
    LER MAIS
    Francisco Guerreiro desafia Comité das Regiões a pronunciar-se sobre o RBI
  • Rendimento Básico Incondicional
  • Francisco Guerreiro desafia Comité das Regiões a pronunciar-se sobre o RBI

    Quinta-feira, 18 de Fevereiro de 2021
    O eurodeputado Francisco Guerreiro, Verdes/Aliança Livre Europeia (Verdes/ALE), incentivou hoje a instituição europeia do Comité das Regiões a pronunciar-se sobre o Rendimento Básico Incondicional (RBI).
    LER MAIS
    Guerreiro pede à UNESCO que trave destruição da Laurissilva
  • Ambiente
  • Guerreiro pede à UNESCO que trave destruição da Laurissilva

    Quarta-feira, 17 de Fevereiro de 2021
    Francisco Guerreiro pede à UNESCO que impeça a intenção de pavimentar quase 10 quilómetros na floresta Laurissilva.
    LER MAIS
    Guerreiro pede a Presidente da FIFA que seja garantida a igualdade de género no Mundial de Futebol
  • Igualdade de género
  • Guerreiro pede a Presidente da FIFA que seja garantida a igualdade de género no Mundial de Futebol

    Terça-feira, 16 de Fevereiro de 2021
    Vários eurodeputados expressaram uma forte preocupação com a realização do Campeonato Mundial de Futebol de 2022 no Qatar, nomeadamente, devido às restrições aos direitos das mulheres aplicadas neste país.
    LER MAIS
    Francisco Guerreiro e 64 outros eurodeputados apelam à suspensão do Acordo comercial com o Mercosul
  • Acordos comerciais
  • Francisco Guerreiro e 64 outros eurodeputados apelam à suspensão do Acordo comercial com o Mercosul

    Quinta-feira, 11 de Fevereiro de 2021
    Francisco Guerreiro reuniu outros 64 eurodeputados para pedir a suspensão do Acordo Comercial com o Mercosul durante a Presidência Portuguesa da União Europeia.
    LER MAIS
    Guerreiro quer impedir uso enganoso do termo 'natural' em produtos alimentares
  • Saúde
  • Guerreiro quer impedir uso enganoso do termo 'natural' em produtos alimentares

    Quarta-feira, 10 de Fevereiro de 2021
    Sob iniciativa do eurodeputado Francisco Guerreiro (Verdes/ALE), Membros do Parlamento Europeu querem acabar com o uso indevido da palavra ‘natural’ em produtos alimentares, pedindo à Comissão Europeia (CE) que a legislação alimentar da União Europeia defina o que pode ser considerado como um alimento ‘natural’.
    LER MAIS
    Verdes apelam ao acesso global e equitativo das vacinas da Covid-19
  • Covid-19
  • Saúde
  • Sessão Plenária
  • Verdes/ALE
  • Verdes apelam ao acesso global e equitativo das vacinas da Covid-19

    Quarta-feira, 10 de Fevereiro de 2021
    O Grupo Parlamentar Verdes/ALE pede um acesso global e equitativo à vacina da Covid-19, um aumento massivo e apoio governamental para a sua produção, uma estratégia de contenção europeia, levantamento temporário de direitos de patentes, divulgação de contratos com fabricantes de vacinas e sistemas europeus procedimentos abrangentes para testar as mutações do vírus. Tudo com carácter de urgência.
    LER MAIS

    mais notícias

    Não encontras o que procuras?