Pergunta à Comissão: COVID-19 - O importante papel da CE na advertência e condenação de práticas de nações terceiras que têm repercussões transnacionais negativas

Pergunta à Comissão: COVID-19 - O importante papel da CE na advertência e condenação de práticas de nações terceiras que têm repercussões transnacionais negativas

  • Quinta-feira, 19 de Março de 2020

  •      A+  A-

Veja aqui a pergunta do Francisco Guerreiro à Comissão Europeia (CE) e respetiva resposta sobre o COVID-19 e o papel desta instituição na advertência e condenação de práticas de nações terceiras que têm repercussões transnacionais negativas.

Assunto: COVID-19 - O importante papel da CE na advertência e condenação de práticas de nações terceiras que têm repercussões transnacionais negativas 

Supõe-se que o vírus Covid-19 terá tido origem nos característicos mercados de animais exóticos de Wuhan (China), onde animais das mais variadas espécies, mortos ou vivos, são mantidos em condições altamente favoráveis à propagação de doenças. Estes mercados contradizem as normas de saúde, higiene e bem-estar aplicáveis aos seres humanos e aos animais recomendadas por instituições oficiais, como a OMS e a OIE.

Tendo em conta que este não é o primeiro surto patológico mundial das últimas décadas que se calcula ter origem neste tipo de mercados, continuará a Comissão a abster-se de interferir de uma forma ativa e crítica em assuntos que remetem para sensibilidades culturais de determinadas nações, mas que têm óbvias repercussões transnacionais negativas para a saúde e o bem-estar humanos?

Tendo em conta que está em causa a segurança e a estabilidade da UE, planeia a Comissão advertir a China para a necessidade de impor normas de higiene e segurança alimentares eficazes e banir o comércio de animais exóticos? 

Irá a Comissão interpelar e condenar o governo Chinês por alegadamente não informar as entidades internacionais sobre a ocorrência do surto logo nas primeiras semanas, quando já se registava um elevado número de infetados, e condenar tal ação, caso se comprove verdadeira?

 

Resposta escrita 

As autoridades chinesas e a comunidade científica internacional não podem ainda confirmar a origem da COVID-19. De acordo com as informações recebidas das autoridades chinesas, a China encerrou muitos dos mercados de animais vivos, nomeadamente em Wuhan e nas zonas vizinhas, e tomou medidas para proibir o comércio e o consumo de animais selvagens. A UE não importa animais vivos provenientes da China, com exceção dos peixes ornamentais. 

No que diz respeito aos géneros alimentícios de origem animal, a Organização Mundial da Saúde (OMS) e a Organização Mundial da Saúde Animal (OIE) desaconselham a aplicação de restrições comerciais com base nas informações disponíveis(1). A Autoridade Europeia para a segurança dos Alimentos realizou uma avaliação de risco pormenorizada que chegou à mesma conclusão(2). Não há provas de que a COVID-19 possa ser transmitida pelos alimentos. 

Os regulamentos internacionais em matéria de saúde juridicamente vinculativos (2005) obrigam os países a comunicar à OMS os eventos de saúde pública imprevistos ou inabituais, bem como todos os eventos no seu território suscetíveis de constituir uma emergência de saúde pública de âmbito internacional(3). 

A Comissão continuará a cooperar estreitamente com a OMS, a OIE e demais parceiros, incluindo a China, a fim de partilhar informações científicas sobre a origem e a propagação da COVID-19 e as melhores práticas para a controlar.

(1)       https://www.oie.int/en/scientific-expertise/specific-information-and-recommendations/questions-and-answers-on-2019novel-coronavirus/

(2)       https://www.efsa.europa.eu/en/news/coronavirus-no-evidence-food-source-or-transmission-route

(3)       https://www.who.int/ihr/publications/9789241580496/en/


Partilhar artigo

A ler também...

Guerreiro questiona Comissão sobre financiamento europeu de incineradora nos Açores
  • Ambiente
  • Guerreiro questiona Comissão sobre financiamento europeu de incineradora nos Açores

    Segunda-feira, 12 de Julho de 2021
    O eurodeputado dos Verdes/Aliança Verde Europeia (Verdes/ALE), Francisco Guerreiro, questionou a Comissão Europeia (CE) sobre o financiamento europeu da construção de uma incineradora na ilha de São Miguel, Açores.
    LER MAIS
    PAC: emenda para rejeitar fundos às touradas foi descartada em trílogos
  • Animais
  • PAC: emenda para rejeitar fundos às touradas foi descartada em trílogos

    Sexta-feira, 09 de Julho de 2021
    Foi descartada, esta semana, uma emenda introduzida pelo eurodeputado dos Verdes/Aliança Livre Europeia (Verdes/ALE) e Vice-Presidente da Comissão da Agricultura e do Desenvolvimento Rural (AGRI), Francisco Guerreiro, sobre a tauromaquia.
    LER MAIS
    Fundo dos Assuntos Marítimos e das Pescas aprovado com voto contra dos Verdes/ALE
  • Agricultura, Mar e Florestas
  • Ambiente
  • Sessão Plenária
  • Verdes/ALE
  • Fundo dos Assuntos Marítimos e das Pescas aprovado com voto contra dos Verdes/ALE

    Quarta-feira, 07 de Julho de 2021
    O Parlamento Europeu aprovou hoje o acordo sobre o Fundo Europeu dos Assuntos Marítimos, das Pescas e da Aquicultura (FEAMPA). Enquanto relator-sombra pelo Grupo dos Verdes/ALE, o eurodeputado Francisco Guerreiro introduziu uma emenda para a rejeição do acordo, porém, a mesma foi chumbada por 516 votos contra e apenas 143 a favor.
    LER MAIS
    Guerreiro preside reunião do Intergrupo para o Bem-Estar e Conservação dos Animais
  • Animais
  • Verdes/ALE
  • Guerreiro preside reunião do Intergrupo para o Bem-Estar e Conservação dos Animais

    Quinta-feira, 01 de Julho de 2021
    O eurodeputado dos Verdes/Aliança Livre Europeia presidiu hoje a reunião do Intergrupo para o Bem-Estar e Conservação dos Animais sobre o ‘Relatório de Implementação sobre Bem-Estar dos Animais de Criação’ pelo qual é também relator-sombra.
    LER MAIS
    Comissão Europeia elimina jaulas na pecuária até 2027
  • Animais
  • Comissão Europeia elimina jaulas na pecuária até 2027

    Quarta-feira, 30 de Junho de 2021
    A Comissão Europeia (CE) comprometeu-se hoje a eliminar gradualmente as jaulas na pecuária, em toda a União Europeia (UE), estudando a possibilidade de a proibição entrar em vigor em 2027. A proposta legislativa vai ser apresentada até ao fim de 2023, juntamente com a revisão da legislação de bem-estar animal, já prometida na estratégia política alimentar da UE, a Estratégia ‘Do Prado ao Prato’.
    LER MAIS
    Fim da Presidência portuguesa: (In)Ação climática e acordo na Política Agrícola Comum ditam avaliação negativa
  • Presidência do Conselho da UE
  • Fim da Presidência portuguesa: (In)Ação climática e acordo na Política Agrícola Comum ditam avaliação negativa

    Quarta-feira, 30 de Junho de 2021
    Esta quarta-feira, dia 30 de junho, termina o semestre português na Presidência do Conselho da União Europeia. Apesar de alguns pontos positivos, nomeadamente em matérias orçamentais e de transparência fiscal (e.g. acordo sobre a Diretiva de Divulgação Pública de Informações por País) houve um fracasso generalizado no que concerne a matérias climáticas e no panorama internacional, nomeadamente no relacionamento com a China e com os países do Mercosul.
    LER MAIS
    Guerreiro participa em conferência sobre qualidade alimentar
  • Agricultura, Mar e Florestas
  • Guerreiro participa em conferência sobre qualidade alimentar

    Terça-feira, 29 de Junho de 2021
    O eurodeputado Francisco Guerreiro participou hoje na conferência 'Capacitar Organizações de Consumidores: Rumo a uma abordagem harmonizada para lidar com a dupla qualidade em produtos alimentícios' (ECO, na sua sigla em inglês) na qual falou do combate à dupla qualidade alimentar, na União Europeia.
    LER MAIS
    Guerreiro questiona Comissão sobre isenção fiscal na UE a combustíveis fósseis
  • Acordos bilaterais
  • Agricultura, Mar e Florestas
  • Ambiente
  • Verdes/ALE
  • Guerreiro questiona Comissão sobre isenção fiscal na UE a combustíveis fósseis

    Sexta-feira, 25 de Junho de 2021
    Francisco Guerreiro questionou a Comissão Europeia sobre a isenção fiscal na União Europeia a combustíveis fósseis. A pergunta foi subscrita pelas eurodeputadas dos Verdes/Aliança Livre Europeia Ska Keller e Caroline Roose. Em causa, as negociações com a Organização Mundial do Comércio que se comprometeu a acabar com estes subsídios até 2020.
    LER MAIS
    PAC: Acordo está muito aquém das metas do Pacto Ecológico Europeu
  • Política Agrícola Comum
  • PAC: Acordo está muito aquém das metas do Pacto Ecológico Europeu

    Sexta-feira, 25 de Junho de 2021
    Terminaram hoje as negociações sobre a Política Agrícola Comum (PAC) para os anos de 2023 a 2027. O acordo entre os representantes do Parlamento Europeu, do Conselho da União Europeia e da Comissão Europeia está muito aquém das promessas do Pacto Ecológico Europeu em usar menos pesticidas, proteger o meio ambiente, o clima e a biodiversidade e promover a agricultura biológica.
    LER MAIS
    Francisco Guerreiro vota contra a Lei Europeia do Clima
  • Alterações Climáticas
  • Ambiente
  • Sessão Plenária
  • Verdes/ALE
  • Francisco Guerreiro vota contra a Lei Europeia do Clima

    Quinta-feira, 24 de Junho de 2021
    O eurodeputado Francisco Guerreiro e os Verdes/Aliança Livre Europeia (Verdes/ALE) – grupo a que pertence no Parlamento Europeu – votaram contra a Lei Europeia do Clima, aprovada hoje em sessão plenária.
    LER MAIS

    mais notícias

    Não encontras o que procuras?