Verdes: Proposta da Comissão para considerar gás e energia nuclear como sustentáveis é greenwashing

Verdes: Proposta da Comissão para considerar gás e energia nuclear como sustentáveis é greenwashing

  • Quarta-feira, 02 de Fevereiro de 2022

  •      A+  A-

Bruxelas, 2 de Fevereiro de 2022- A Comissão Europeia (CE) publicou hoje a versão final do Acto Delegado ao Regulamento de Taxonomia da União Europeia (EU), que considera projectos de gás e nucleares como investimentos sustentáveis. O Acto Delegado deve considerar quais os investimentos financeiros que podem ser rotulados como sustentáveis.

O Grupo dos Verdes/Aliança Livre Europeia opõe-se veementemente à inclusão do gás e da energia nuclear e desafia todos os deputados do Parlamento Europeu a rejeitarem esta medida.

O eurodeputado dos Verdes/ALE Bas Eickhout, vice-presidente do Comité do Ambiente, Saúde Pública e Segurança Alimentar, considera que "com essa tentativa dissimulada de classificar as indústrias de gás e nuclear como sustentáveis, a Comissão Europeia está a prejudicar significativamente a credibilidade da UE como actor climático. A taxonomia deve ser uma oportunidade para a UE definir o as regras base para os investimentos do futuro e o carácter mais ecológico da nossa economia. No entanto, incluir o gás e a energia nuclear na proposta da Comissão equivale a uma lavagem verde e vai contra o Green Deal. Na Cimeira do clima da ONU em Glasgow, foram dados pequenos passos para eliminar gradualmente os combustíveis fósseis. No entanto, infelizmente, a Comissão já está a voltar atrás e a deixar a porta aberta à indústria do gás”.

Na proposta da Comissão, os investimentos em gás recebem um rótulo verde se a licença para a construção de uma central de gás for emitida antes do final de 2030 e for convertida numa forma de gás limpa, como o hidrogénio, até 2035. Mas há outros critérios que podem permitir obter essa classificação. Tanto na construção de reactores nucleares como na manutenção dos reactores já existentes são consideradas sustentáveis ​​na proposta da Comissão. Para a energia nuclear, o requisito para um rótulo verde é que os fundos devem estar disponíveis para o armazenamento de resíduos nucleares e o desmantelamento do reactor nuclear, mas ainda não está claro quanto financiamento será necessário. A Comissão Europeia exige uma solução final para o armazenamento permanente de resíduos nucleares altamente radioativos até 2050.

Jutta Paulus , membro dos Verdes/ALE do Comitê de Meio Ambiente e membro adjunto do Comitê de Indústria, Pesquisa e Energia, diz também que “o gás e a energia nuclear não são sustentáveis. Nem um único rótulo de sustentabilidade no mundo classificou essas tecnologias como verdes. A presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen, ignorou a classificação de seu próprio grupo de especialistas num verdadeiro jogo de poker com os estados membros da UE e desvalorizou a taxonomia, que poderia ter-se tornado a regra base para investimentos sustentáveis. As energias renováveis ​​não terão cada centavo para reactores nucleares e projetos de gás. Todo investimento em gás aumenta as emissões de metano extremamente prejudiciais ao clima durante a produção e o transporte. Pequenos passos para eliminar os combustíveis fósseis foram acordados na cúpula climática da ONU em Glasgow. Mas a Comissão da UE quer voltar no tempo e manter uma porta aberta para as indústrias de gás e nuclear”.

Michael Bloss , membro dos Verdes/EFA do Comitê de Indústria, Pesquisa e Energia e membro adjunto do Comitê de Meio Ambiente, acrescenta que “nós, Verdes/ALE, vamos trabalhar para pôr termo à designação imprópria e apelar a todos os eurodeputados que votem contra o acto delegado. A abordagem da Comissão da UE equivale a green washing e viola sua própria exigência de depender de alternativas como energias renováveis. A classificação de produtos financeiros sustentáveis ​​é uma questão de credibilidade. A Comissão da UE corre o risco de comprometer a credibilidade do Green Deal e o papel da UE como o principal mercado para finanças sustentáveis”.

Para suspender esta proposta é necessária uma maioria absoluta do Parlamento Europeu, 353 (de 705) deputados têm de votar contra a proposta. Uma maioria qualificada de países da UE também pode bloquear a proposta no Conselho de Ministros. Além disso, a Áustria e o Luxemburgo anunciaram que vão ao Tribunal Europeu contestar esta decisão.


Partilhar artigo

Mais sobre Pacto Ecológico Europeu

Programa Geral de Acção da União para 2030 em matéria de Ambiente
  • Geral
  • Programa Geral de Acção da União para 2030 em matéria de Ambiente

    Sexta-feira, 11 de Março de 2022

    LER MAIS
    Uma estratégia europeia para as energias renováveis ​​offshore
  • Geral
  • Uma estratégia europeia para as energias renováveis ​​offshore

    Segunda-feira, 21 de Fevereiro de 2022

    LER MAIS
    'O Pacto Ecológico Europeu e a Recuperação Económica Pós-COVID'
  • Alterações Climáticas
  • 'O Pacto Ecológico Europeu e a Recuperação Económica Pós-COVID'

    Sábado, 08 de Maio de 2021
    O eurodeputado Francisco Guerreiro (Verdes/ALE) participou hoje no evento 'O Pacto Ecológico Europeu e a Recuperação Económica Pós-COVID' em que abordou os tópicos da pertinência do Pacto Ecológico na recuperação económica, da justiça climática, do investimento público tendo em vista a sustentabilidade, da a importância do ativismo pela causa climática e do retorno dos Estados Unidos da América ao Acordo de Paris.
    LER MAIS
    Eurodeputados voltam a insistir na definição do termo ‘natural’ em produtos alimentares
  • Saúde
  • Eurodeputados voltam a insistir na definição do termo ‘natural’ em produtos alimentares

    Quarta-feira, 28 de Abril de 2021
    Sob iniciativa do eurodeputado Francisco Guerreiro, um grupo de mais de 30 Membros do Parlamento Europeu de várias famílias políticas subscreveu a um apelo à Comissão Europeia para que defina o uso do termo ‘natural’ em produtos alimentares.
    LER MAIS
    Lei do Clima: UE chega a acordo sobre meta de redução das emissões
  • Alterações Climáticas
  • Ambiente
  • Lei do Clima
  • Verdes/ALE
  • Lei do Clima: UE chega a acordo sobre meta de redução das emissões

    Quarta-feira, 21 de Abril de 2021
    O Parlamento Europeu, a Comissão Europeia e o Conselho da União Europeia aprovaram hoje a meta de redução das emissões de gases com efeito de estufa líquidas em 55% até 2030 nos seus objetivos climáticos.
    LER MAIS
    Política da concorrência
  • Economia
  • Sessão Plenária
  • Política da concorrência

    Sexta-feira, 19 de Junho de 2020
    Veja aqui as declarações de voto de Francisco Guerreiro para a sessão plenária de 17 a 19 de junho de 2020.
    LER MAIS
    Novo QFP, recursos próprios e plano de retoma
  • Economia
  • Sessão Plenária
  • Novo QFP, recursos próprios e plano de retoma

    Sexta-feira, 15 de Maio de 2020
    Veja aqui as declarações de voto de Francisco Guerreiro para a sessão plenária de 13 a 15 de maio de 2020.
    LER MAIS

    Não encontras o que procuras?