Pergunta à CE: Experiências em animais: ensaios regulamentares

Pergunta à CE: Experiências em animais: ensaios regulamentares

  • Segunda-feira, 27 de Abril de 2020

  •      A+  A-

Veja aqui a pergunta conjunta dos eurodeputados Francisco Guerreiro, Anja Hazekamp, Eleonora Evi, Pascal Durand, Petras Auštrevičius, Tilly Metz, Sirpa Pietikäinen e David Cormand à Comissão Europeia e respetiva resposta sobre experiências em animais e ensaios regulamentares.

 

Assunto: Experiências em animais: ensaios regulamentares

No seu relatório, de 5 de fevereiro de 2020, intitulado «Relatório 2019 sobre os dados estatísticos relativos à utilização de animais para fins científicos nos Estados-Membros da União Europeia entre 2015 e 2017», a Comissão constatou que são ainda efetuados ensaios regulamentares em quatro áreas-chave em que existem métodos validados que não utilizam animais, que são aceites pela legislação da UE. 

Em 2017, foram efetuados, no total, 4120 ensaios de irritação cutânea, 814 ensaios de irritação ocular, 47 341 ensaios de sensibilização cutânea e 35 172 ensaios de pirogenicidade. 

1. A Comissão pode explicar por que motivo o número destes ensaios é ainda tão alto? 

2. O que está a ser feito pela Comissão para que os Estados-Membros respeitem o artigo 13.º, n.º 1, da Diretiva 2010/63/UE, que estabelece que «sem prejuízo da legislação nacional que proíba determinados tipos de métodos, os Estados-Membros asseguram que os procedimentos não sejam realizados se, ao abrigo da legislação da União, for reconhecido outro método ou estratégia de ensaio para obter os resultados pretendidos que não implique a utilização de animais vivos»?

 

Resposta escrita

 

A legislação da União reconhece, desde há vários anos, ensaios alternativos de corrosão/irritação cutânea/ocular e pirogenicidade. Em 2016(1), foram incorporados no Regulamento relativo ao registo, avaliação, autorização e restrição dos produtos químicos (REACH)(2) métodos alternativos de sensibilização cutânea.

Em alguns casos, os métodos alternativos têm limitações quanto aos efeitos que permitem prever, o que os torna inadequados para determinadas substâncias/aplicações. Alguns resultados (por exemplo, no que respeita aos ensaios oculares) podem ser inconclusivos e exigir estudos de confirmação in vivo; por outro lado, certos domínios de regulamentação ainda exigem o recurso a ensaios com animais. No caso dos produtos biológicos, é necessária uma validação bem sucedida do método alternativo específica de cada produto (por exemplo, um ensaio de pirogenicidade in vitro) antes de o método poder ser utilizado para fins regulamentares. 

Em conformidade com a Diretiva 2010/63/UE(3), antes de autorizar um projeto, a autoridade competente deve assegurar-se de que o resultado pretendido não pode ser obtido por recurso a alternativas. Uma vez autorizado um projeto, é designada uma pessoa responsável pelo cumprimento da autorização(4), que deve exigir o recurso a alternativas logo que sejam reconhecidas pela legislação da União. 

As limitações acima descritas poderão explicar, em parte, que se continuem a utilizar animais para esses fins. No entanto, embora o número desses animais esteja a diminuir na maior parte dos casos, a Comissão continua preocupada.

A Comissão recorda instantemente aos Estados-Membros as suas obrigações legais; emitiu orientações complementares e incentiva a colaboração entre as autoridades reguladoras. Além disso, a Agência Europeia dos Produtos Químicos (ECHA), no contexto dos ensaios realizados no âmbito do REACH, exige uma justificação para a utilização de animais no âmbito da verificação da exaustividade dos processos dos produtos químicos registados.

 

(1)       Regulamento (UE) 2016/1688 da Comissão, de 20 de setembro de 2016, que altera o anexo VII do Regulamento (CE) n.° 1907/2006 do Parlamento Europeu e do Conselho relativo ao registo, avaliação, autorização e restrição dos produtos químicos (REACH), no que respeita à sensibilização da pele (JO L 255 de 21.9.2016, p. 14) .

(2)       Regulamento (CE) n.° 1907/2006 do Parlamento Europeu e do Conselho, de 18 de dezembro de 2006, relativo ao registo, avaliação, autorização e restrição dos produtos químicos (REACH).

(3)       Diretiva 2010/63/UE do Parlamento Europeu e do Conselho, de 22 de setembro de 2010, relativa à proteção dos animais utilizados para fins científicos (JO L 276 de 20.10.2010, p. 33).

(4)       Artigo 40.°, n.° 2, alínea b), da Diretiva 2010/63/UE.


Partilhar artigo

A ler também...

O fim das gaiolas na pecuária é aprovado no Parlamento Europeu
  • Animais
  • O fim das gaiolas na pecuária é aprovado no Parlamento Europeu

    Quinta-feira, 10 de Junho de 2021
    A resolução para acabar com as gaiolas na pecuária na União Europeia (UE) foi aprovada hoje no Parlamento Europeu (PE) por larga maioria (558 a favor, 37 contra e 85 abstenções). Esta resolução resulta da Iniciativa de Cidadania Europeia “Fim da era da gaiola” que foi assinada por mais de 1,3 milhões de europeus.
    LER MAIS
    A Estratégia de Biodiversidade da UE para 2030: Parlamento europeu envia sinal forte à Comissão e Estados-Membros
  • Agricultura, Mar e Florestas
  • Ambiente
  • Política Agrícola Comum
  • Sessão Plenária
  • A Estratégia de Biodiversidade da UE para 2030: Parlamento europeu envia sinal forte à Comissão e Estados-Membros

    Quarta-feira, 09 de Junho de 2021
    A Comissão Europeia (CE) publicou a "Estratégia de biodiversidade da UE para 2030 - Trazer a natureza de volta às nossas vidas" em maio de 2020, com a ambição de colocar a biodiversidade na via da recuperação até 2030, o que o eurodeputado Francisco Guerreiro e o grupo que integra, Verdes/ALE, saúdam.
    LER MAIS
    ‘Pare pelo Meio Ambiente’: o apelo aos líderes mundiais para salvarem o meio ambiente brasileiro
  • Acordos bilaterais
  • Acordos comerciais
  • Ambiente
  • ‘Pare pelo Meio Ambiente’: o apelo aos líderes mundiais para salvarem o meio ambiente brasileiro

    Terça-feira, 08 de Junho de 2021
    Por ocasião do Dia Mundial do Meio Ambiente (dia 5 de junho), sob iniciativa do eurodeputado Francisco Guerreiro (Verdes/ALE), do deputado federal brasileiro David Miranda (PSOL) e de Silvana Andrade (Agência de Notícias de Direitos Animais - ANDA), foi lançado o manifesto ‘Pare pelo Meio Ambiente’ que faz um apelo aos líderes mundiais para salvar o meio ambiente brasileiro.
    LER MAIS
    Verdes/ALE pedem legislação vinculativa para proteger a natureza
  • Ambiente
  • Verdes/ALE pedem legislação vinculativa para proteger a natureza

    Segunda-feira, 07 de Junho de 2021
    Hoje, o Parlamento Europeu vai debater o relatório da Comissão do Ambiente, da Saúde Pública e da Segurança Alimentar (ENVI) sobre a "Estratégia de Biodiversidade para 2030: trazer a natureza de volta às nossas vidas", que defende os objetivos de proteção e restauração da biodiversidade, conforme estabelecido na estratégia da Comissão comunicada em maio de 2020.
    LER MAIS
    Evento Internacional: 'Pare pelo Meio Ambiente'
  • Acordos bilaterais
  • Alterações Climáticas
  • Ambiente
  • Direitos Humanos
  • Evento Internacional: 'Pare pelo Meio Ambiente'

    Terça-feira, 01 de Junho de 2021
    No Dia Mundial do Meio Ambiente, sábado 5 de junho, instituições, cientistas, intelectuais, indígenas, líderes sociais, representantes políticos e artistas brasileiros e internacionais vão realizar o evento ao vivo “Pare pelo Meio Ambiente”.
    LER MAIS
    Posição dos Verdes/ALE sobre a aterragem forçada do voo FR4978 da Ryanair em Minsk, Bielorrússia
  • Direitos Humanos
  • Verdes/ALE
  • Posição dos Verdes/ALE sobre a aterragem forçada do voo FR4978 da Ryanair em Minsk, Bielorrússia

    Segunda-feira, 24 de Maio de 2021
    No dia 23 de maio de 2021, as autoridades da Bielorrússia obrigaram um avião civil da União Europeia (UE) a realizar uma aterragem de emergência em Minsk. Vê aqui a posição do grupo parlamentar dos Verdes/aliança Livre Europeia (Verdes/ALE).
    LER MAIS
    Comissão AGRI aprovou resolução para acabar com o uso de gaiolas na pecuária
  • Animais
  • Comissão AGRI aprovou resolução para acabar com o uso de gaiolas na pecuária

    Sexta-feira, 21 de Maio de 2021
    A Comissão da Agricultura e do Desenvolvimento Rural do Parlamento Europeu (AGRI) aprovou hoje, por larga maioria (39 votos a fovor, 4 contra e 3 abstenções), uma resolução para acabar com o uso de gaiolas na pecuária e apela a Comissão Europeia (CE) a considerar proibir o uso de gaiolas até 2027.
    LER MAIS
    FAO e Parlamento Europeu defendem transformação regenerativa no sistema agrícola
  • Agricultura, Mar e Florestas
  • FAO e Parlamento Europeu defendem transformação regenerativa no sistema agrícola

    Sexta-feira, 21 de Maio de 2021
    Evento promovido pela FAO e vários membros do Parlamento Europeu, nomeadamente Francisco Guerreiro, dos Verdes/ALE, debateu a importância de transformar os sistemas produtivos agrícolas para garantir respostas efectivas à má nutrição e à fome no mundo.
    LER MAIS
    Sessão plenária: Ambiente - Regulamento de Aarhus
  • Ambiente
  • Sessão Plenária
  • Sessão plenária: Ambiente - Regulamento de Aarhus

    Quinta-feira, 20 de Maio de 2021
    Vê aqui as declarações de voto de Francisco Guerreiro para a sessão plenária de 17 a 20 de maio de 2021.
    LER MAIS
    Sessão plenária: Responsabilidade das empresas por danos ambientais
  • Ambiente
  • Sessão Plenária
  • Sessão plenária: Responsabilidade das empresas por danos ambientais

    Quinta-feira, 20 de Maio de 2021
    Vê aqui as declarações de voto de Francisco Guerreiro para a sessão plenária de 17 a 20 de maio de 2021.
    LER MAIS

    mais notícias

    Não encontras o que procuras?