Pergunta à CE: Aeroporto no Montijo e desconformidades com a legislação comunitária

Pergunta à CE: Aeroporto no Montijo e desconformidades com a legislação comunitária

  • Terça-feira, 27 de Outubro de 2020

  •      A+  A-

Veja aqui a pergunta de Francisco Guerreiro à Comissão Europeia sobre o Aeroporto no Montijo e as desconformidades com a legislação comunitária.

Assunto: Aeroporto no Montijo e desconformidades com a legislação comunitária 

O acordo entre o Estado português e a ANA engloba a construção de um aeroporto complementar no Montijo e o aumento significativo da capacidade aeroportuária do Aeroporto Humberto Delgado. 

O «sistema aeroportuário» consiste num plano sectorial atendendo à legislação portuguesa, com especial impacto na Área Metropolitana de Lisboa e sua envolvente e com efeitos negativos no ambiente e na saúde. 

Tal conjuntura obriga à efetivação de uma Avaliação Ambiental Estratégica, atendendo às premissas na legislação nacional e comunitária. 

Além disso, a avaliação de impacto ambiental desconsiderou eventuais impactos climáticos e ambientais, havendo-se focado no vetor financeiro. Assim, pergunto à Comissão se: 

1. Considera que este projeto, relativamente ao qual se verifica a inexistência da elaboração de uma avaliação ambiental estratégica, cumpre os ditames legais nacionais e comunitários? 

2. Face à ausência de estimativas sobre as emissões de gases com efeito de estufa dos voos associados ao novo aeroporto no estudo do seu impacto ambiental, bem como devido ao facto de a localização ser adjacente à Zona de Proteção Especial do Estuário do Tejo e à Zona Especial de Conservação – Sítio Estuário do Tejo, considera a Comissão que existe conformidade da concretizada avaliação de impacto ambiental com a legislação comunitária?

 

Resposta escrita

 

A Diretiva Avaliação de Impacto Ambiental[1] exige que os projetos de construção de aeroportos[2] sejam sujeitos a uma avaliação dos seus efeitos no ambiente antes de as autoridades competentes concederem a sua aprovação. Além disso, devido aos efeitos potencialmente significativos do aeroporto proposto no sítio Natura 2000 «Estuário do Tejo»[3], é obrigatória uma avaliação adequada desses efeitos[4] nos termos das disposições da Diretiva Habitats[5]. As autoridades competentes só podem dar o seu acordo ao projeto depois de se terem assegurado, à luz dos resultados dessa avaliação adequada, de que a integridade do sítio em causa não será afetada negativamente, a menos que estejam preenchidas determinadas condições[6]. Em contrapartida, importa salientar que as disposições que exigem uma avaliação ambiental estratégica nos termos da Diretiva Avaliação Ambiental Estratégica[7] só se aplicam aos planos e programas na aceção dessa diretiva.

 

A Comissão deu início a um inquérito sobre as alegações de uma eventual aplicação incorreta das disposições da legislação ambiental da UE acima referidas, que lhe foram comunicadas através de uma denúncia. A Comissão decidirá qual a melhor via a seguir para este caso, tendo em conta as conclusões do inquérito em curso.

 



[1] Diretiva 2011/92/UE do Parlamento Europeu e do Conselho, de 13 de dezembro de 2011, relativa à avaliação dos efeitos de determinados projetos públicos e privados no ambiente (JO L 26 de 28.1.2012, p. 1), alterada pela Diretiva 2014/52/UE do Parlamento Europeu e do Conselho, de 16 de abril de 2004 (JO L 124 de 25.4.2014, p. 1).

[2] Tal como todos os tipos de projetos enumerados no anexo I da diretiva [a construção de aeroportos cuja pista de descolagem e de aterragem tenha um comprimento de, pelo menos, 2 100 metros é referida no ponto 7a) do anexo I da Diretiva Avaliação de Impacto Ambiental].

[3] PTCON0009 e PTZPE0010.

[4] A abordagem geral recomendada pela Comissão no seu documento de orientação «Avaliação de planos e projetos suscetíveis de afetar de forma significativa sítios Natura 2000 — Guia metodológico sobre as disposições do artigo 6.º, n.os 3 e 4, da Diretiva Habitats (92/43/CEE)» (disponível em https://ec.europa.eu/environment/nature/natura2000/management/docs/art6/natura_2000_assess_pt.pdf) é que as avaliações exigidas pela Diretiva Habitats sejam integradas nas avaliações ao abrigo da Diretiva Avaliação de Impacto Ambiental. Devem, no entanto, ser claramente distinguidas e identificadas, ou comunicadas separadamente.

[5] Diretiva 92/43/CEE do Conselho, de 21 de maio de 1992, relativa à preservação dos habitats naturais e da fauna e da flora selvagens (JO L 206 de 22.7.1992, p. 7).

[6] Previstas no artigo 6.º, n.º 4, da Diretiva Habitats, incluindo, por exemplo, que, na falta de soluções alternativas, o projeto é realizado por razões imperativas de reconhecido interesse público.

[7] Diretiva 2001/42/CE do Parlamento Europeu e do Conselho, de 27 de junho de 2001, relativa à avaliação dos efeitos de determinados planos e programas no ambiente (JO L 197 de 21.7.2001, p. 30).

 

 


Partilhar artigo

A ler também...

1 ano como independente: Reforço da representação ecologista no Parlamento Europeu
  • Ambiente
  • Direitos Sociais
  • Lei do Clima
  • Política Agrícola Comum
  • Verdes/ALE
  • 1 ano como independente: Reforço da representação ecologista no Parlamento Europeu

    Quarta-feira, 28 de Julho de 2021
    O último ano do deputado Francisco Guerreiro como membro independente do Parlamento Europeu ficou marcado pelo trabalho em volta da Política Agrícola Comum, do Fundo Europeu dos Assuntos Marítimos, das Pescas e da Aquicultura e da Lei do Clima.
    LER MAIS
    Guerreiro questiona Comissão sobre financiamento europeu de incineradora nos Açores
  • Ambiente
  • Guerreiro questiona Comissão sobre financiamento europeu de incineradora nos Açores

    Segunda-feira, 12 de Julho de 2021
    O eurodeputado dos Verdes/Aliança Verde Europeia (Verdes/ALE), Francisco Guerreiro, questionou a Comissão Europeia (CE) sobre o financiamento europeu da construção de uma incineradora na ilha de São Miguel, Açores.
    LER MAIS
    PAC: emenda para rejeitar fundos às touradas foi descartada em trílogos
  • Animais
  • PAC: emenda para rejeitar fundos às touradas foi descartada em trílogos

    Sexta-feira, 09 de Julho de 2021
    Foi descartada, esta semana, uma emenda introduzida pelo eurodeputado dos Verdes/Aliança Livre Europeia (Verdes/ALE) e Vice-Presidente da Comissão da Agricultura e do Desenvolvimento Rural (AGRI), Francisco Guerreiro, sobre a tauromaquia.
    LER MAIS
    Francisco Guerreiro debate alteração dos sistemas alimentares da ONU com WWF
  • Agricultura, Mar e Florestas
  • Ambiente
  • Francisco Guerreiro debate alteração dos sistemas alimentares da ONU com WWF

    Quinta-feira, 08 de Julho de 2021
    O eurodeputado Francisco Guerreiro foi um dos participantes do ciclo de debates da Associação Natureza Portugal em colaboração com a World Wide Fund For Nature (ANPIWWF).
    LER MAIS
    Fundo dos Assuntos Marítimos e das Pescas aprovado com voto contra dos Verdes/ALE
  • Agricultura, Mar e Florestas
  • Ambiente
  • Sessão Plenária
  • Verdes/ALE
  • Fundo dos Assuntos Marítimos e das Pescas aprovado com voto contra dos Verdes/ALE

    Quarta-feira, 07 de Julho de 2021
    O Parlamento Europeu aprovou hoje o acordo sobre o Fundo Europeu dos Assuntos Marítimos, das Pescas e da Aquicultura (FEAMPA). Enquanto relator-sombra pelo Grupo dos Verdes/ALE, o eurodeputado Francisco Guerreiro introduziu uma emenda para a rejeição do acordo, porém, a mesma foi chumbada por 516 votos contra e apenas 143 a favor.
    LER MAIS
    Guerreiro preside reunião do Intergrupo para o Bem-Estar e Conservação dos Animais
  • Animais
  • Verdes/ALE
  • Guerreiro preside reunião do Intergrupo para o Bem-Estar e Conservação dos Animais

    Quinta-feira, 01 de Julho de 2021
    O eurodeputado dos Verdes/Aliança Livre Europeia presidiu hoje a reunião do Intergrupo para o Bem-Estar e Conservação dos Animais sobre o ‘Relatório de Implementação sobre Bem-Estar dos Animais de Criação’ pelo qual é também relator-sombra.
    LER MAIS
    Comissão Europeia elimina jaulas na pecuária até 2027
  • Animais
  • Comissão Europeia elimina jaulas na pecuária até 2027

    Quarta-feira, 30 de Junho de 2021
    A Comissão Europeia (CE) comprometeu-se hoje a eliminar gradualmente as jaulas na pecuária, em toda a União Europeia (UE), estudando a possibilidade de a proibição entrar em vigor em 2027. A proposta legislativa vai ser apresentada até ao fim de 2023, juntamente com a revisão da legislação de bem-estar animal, já prometida na estratégia política alimentar da UE, a Estratégia ‘Do Prado ao Prato’.
    LER MAIS
    Fim da Presidência portuguesa: (In)Ação climática e acordo na Política Agrícola Comum ditam avaliação negativa
  • Presidência do Conselho da UE
  • Fim da Presidência portuguesa: (In)Ação climática e acordo na Política Agrícola Comum ditam avaliação negativa

    Quarta-feira, 30 de Junho de 2021
    Esta quarta-feira, dia 30 de junho, termina o semestre português na Presidência do Conselho da União Europeia. Apesar de alguns pontos positivos, nomeadamente em matérias orçamentais e de transparência fiscal (e.g. acordo sobre a Diretiva de Divulgação Pública de Informações por País) houve um fracasso generalizado no que concerne a matérias climáticas e no panorama internacional, nomeadamente no relacionamento com a China e com os países do Mercosul.
    LER MAIS
    Guerreiro participa em conferência sobre qualidade alimentar
  • Agricultura, Mar e Florestas
  • Guerreiro participa em conferência sobre qualidade alimentar

    Terça-feira, 29 de Junho de 2021
    O eurodeputado Francisco Guerreiro participou hoje na conferência 'Capacitar Organizações de Consumidores: Rumo a uma abordagem harmonizada para lidar com a dupla qualidade em produtos alimentícios' (ECO, na sua sigla em inglês) na qual falou do combate à dupla qualidade alimentar, na União Europeia.
    LER MAIS
    SAFE: Francisco Guerreiro debate qualidade dos alimentos
  • Política Agrícola Comum
  • SAFE: Francisco Guerreiro debate qualidade dos alimentos

    Terça-feira, 29 de Junho de 2021
    O eurodeputado Francisco Guerreiro foi um dos oradores da conferência da SAFE "Dual Food Quality: Empowering Consumer Organizations".
    LER MAIS

    mais notícias

    Não encontras o que procuras?