Anda: 'Debate com eurodeputado Francisco Guerreiro e deputado David Miranda expõe necessidade de unir forças contra retrocessos ambientais'

Anda: 'Debate com eurodeputado Francisco Guerreiro e deputado David Miranda expõe necessidade de unir forças contra retrocessos ambientais'

  • Sábado, 20 de Março de 2021

  •      A+  A-

O desmonte ambiental promovido pelo governo de Jair Bolsonaro (sem partido) e a morte dos 600 animais silvestres que foram negligenciados no Centro de Triagem de Animais Silvestres (CETAS) do Ibama em Seropédica (RJ) foram alguns dos assuntos discutidos no debate promovido pelo eurodeputado Francisco Guerreiro e pela presidente da ANDA, Silvana Andrade

 

(Foto: Reprodução/Facebook/ANDA)

O eurodeputado Francisco Guerreiro (Verdes/ALE) e Silvana Andrade, presidente da Agência de Notícias de Direitos Animais (ANDA), realizaram ontem (19/03) o segundo debate ao vivo nas redes sociais, mediado pela jornalista Patrícia Matos, para tratar de temas relacionados aos direitos animais e ambientais. Promovido mensalmente, o encontro desta semana contou com a participação do deputado federal David Miranda (PSOL), que levanta em seu mandato as bandeiras animal e ambiental. Uma de suas últimas iniciativas tem como objetivo impedir que ocorra um desastre ambiental em Fernando de Noronha por conta dos desmandos de Bolsonaro.

Recentemente, o parlamentar, junto dos demais deputados do PSOL que integram a bancada do partido na Câmara, assinou um Projeto de Decreto Legislativo (PDL) para sustar o leilão que pretende conceder à iniciativa privada áreas próximas ao arquipélago de Fernando de Noronha para exploração de petróleo e gás natural.

O leilão foi justamente um dos assuntos discutidos ontem, além do desmonte ambiental promovido pelo governo de Jair Bolsonaro (sem partido), a morte dos 600 animais silvestres que foram negligenciados no Centro de Triagem de Animais Silvestres (CETAS) do Ibama em Seropédica, no Rio de Janeiro, as negociações entre a União Europeia e o Mercosul e os efeitos nocivos da agropecuária sobre o meio ambiente, dentre outras questões.

Durante o debate, o eurodeputado Francisco Guerreiro pontuou que o acordo com o Mercosul não pode ser feito sem que a agenda ambiental seja considerada. Vegano e ativista pelos direitos ambientais, Guerreiro se dedica à luta pela preservação da natureza e por isso, considera que não se pode dar carta branca para que Bolsonaro perpetue sua política destrutiva que coloca o meio ambiente sob ameaça.

O eurodeputado comentou ainda um apontamento feito pela jornalista Patrícia Matos sobre a decisão do provedor de Justiça europeu, que considerou que a Comissão Europeia é culpada de má administração por não ter finalizado a avaliação de impacto de sustentabilidade antes das conclusões das negociações comerciais da União Europeia com o Mercosul.

Eurodeputado Francisco Guerreiro (Foto: Divulgação)

Guerreiro ressaltou também que, além dos efeitos negativos sobre o ecossistema, o descaso com a agenda ambientalista também é prejudicial para a saúde humana. “As pessoas vão sofrer ainda mais com problemas que estão ligados ao desmatamento, à erosão do solo, à escassez de água, à contaminação dos recursos com microplásticos, com poluentes, com agrotóxicos”, explicou.

Para combater tamanhos retrocessos, Guerreiro apontou a necessidade de firmar parcerias para que mais vozes se unam contra a destruição do meio ambiente orquestrada por governos descompromissados com a preservação ambiental. Segundo ele, é preciso que ações sejam planejadas para alertar a sociedade sobre essa realidade.

O apontamento feito pelo eurodeputado foi reforçado por David Miranda, que disse que é preciso debater não só a autorização de Bolsonaro para que empresas explorem gás natural e petróleo em Fernando de Noronha, mas também discorrer sobre “o projeto do governo Bolsonaro contra o meio ambiente”.

“É muito importante para todas as pessoas entenderem o que ele e o seu ministro do Meio Ambiente têm feito. Bolsonaro é o único presidente que foi eleito dizendo que ia acabar com toda a fiscalização e essa foi a única promessa de governo que ele cumpriu. Ele falou que não teriam demarcações indígenas, que não teriam fiscalizações, ele aparelhou os estados, tirou o dinheiro das fiscalizações do Ibama, de todos esses órgãos que fariam as fiscalizações, tivemos muitas queimadas na Amazônia.. Tem um projeto que o Bolsonaro está construindo contra o meio ambiente aqui no Brasil.  Teve a maior queimada da história, 30% do Pantanal foi queimado. Ele retirou profissionais de carreira dos órgãos de inspeção e colocou militares. Em 2020 tivemos muitos problemas, em 2019 tivemos um vazamento de óleo em toda costa brasileira praticamente”, relembrou David ao citar o derramamento criminoso de petróleo que contaminou pelo menos 113 praias no Nordeste.

Junto da contaminação do solo e do oceano, que causou a morte de inúmeros animais marinhos, veio também a omissão do governo federal, criticada durante o debate pela presidente da ANDA, Silvana Andrade, que lembrou que Bolsonaro exerce uma política sistemática muito bem pensada de destruição ambiental.

Deputado David Miranda (Foto: Michel Jesus/Câmara dos Deputados)

“Quando houve o derramamento de petróleo que começou no Nordeste e se espalhou até a região Sudeste, o governo federal fez absolutamente nada e apenas culpou a Venezuela, porque aqui tudo se resume a isso. Da mesma maneira foi no Pantanal com os incêndios. Inclusive, a ANDA entrou naquele momento com uma ação no Tribunal de Justiça de Mato Grosso e Mato Grosso do Sul e depois no Supremo Tribunal Federal exigindo que os governos tomassem providências para conter os incêndios e o que a gente viu naquele momento foi o governo federal gastando milhões apenas em combustível para fazer uma simulação de guerra contra a Venezuela. É esse é o tipo de governo que o Brasil tem”, criticou.

Diante do desmonte ambiental vivido há dois anos pelo Brasil, David considera que a solução é o impeachament de Bolsonaro. O deputado também chamou atenção para a necessidade de unir forças com países da América Latina e da União Europeia. “Países que possam assinar documentos chamando atenção para OEA [Organização dos Estados Americanos], para a ONU [Organização das Nações Unidas] e para a OMS [Organização Mundial da Saúde”, pontuou.

David citou também a relação entre a pandemia de coronavírus e a exploração animal. O coronavírus surgiu em um mercado de venda de animais vivos e mortos na China e outros vírus com potencial pandêmico podem surgir em toda parte do mundo, inclusive no Brasil, onde a exploração animal e o desmatamento são práticas comuns.

“O que acontece quando você tem uma queimada no Pantanal e uma determinada espécie silvestre vai para uma determinada área e tem que conviver com uma outra espécie silvestre que não convivia antes? A gente vive uma crise de saúde mundial vinda de animais que vivem em outro ecossistema, que foram expulsos, que são caçados, que as pessoas comem e que criou essa confusão no mundo inteiro. As queimadas fazem isso também quando você não tem a visão sobre como esses animais silvestres vão estar convivendo no meio ambiente”, afirmou.

Ao falar dos animais silvestres, o deputado aproveitou para denunciar a situação do CETAS do Ibama em Seropédica, que foi visitado por David recentemente. “O major de carreira que ele [Bolsonaro] colocou lá não enviou alimento no período de 2020, acabou com os contratos dos cuidadores daquele local, onde tem mais de 3 mil animais de diferentes espécies que estão com doenças se multiplicando em gaiolas pequenas. Ali pode ser uma bomba que pode sair mais alguma coisa”, comentou o deputado ao se referir à possibilidade de mais um vírus surgir no centro de tratamento do Ibama por conta da insalubridade do local. No debate, David defendeu um projeto de restruturação para o Brasil por meio do qual o Estado tenha orçamento e política pública ambiental.

Silvana Andrade, presidente da Agência de Notícias de Direitos Animais (ANDA) (Foto: Divulgação)

Silvana Andrade lembrou ainda que a alta mortandade de animais silvestres no CETAS, que passaram fome e sofreram com doenças, configura crime ambiental. “O governo tem prevaricado o tempo inteiro. Quem deveria cumprir a lei, está descumprindo. O que houve no CETAs do Rio de Janeiro foi um crime, 600 animais morreram de fome e por falta de cuidados de saúde. Isso está previsto na Lei de Crimes Ambientais, é um crime, o próprio governo não respeita a lei e por isso prevarica. E deveria ser criminalizado, condenado, punido por isso”, argumentou.

A presidente da ANDA aproveitou o debate para alertar sobre a nocividade da pecuária, que não só causa sofrimento extremo aos animais, como devasta o meio ambiente. “O Pantanal está sendo, foi e vai continuar sendo devastado, assim como a Amazônia, também por conta da pecuária. Hoje, 90% do desmatamento no Brasil se deve à pecuária. Isso a gente precisa parar de alguma forma. A ONU, através do Painel de Biodiversidade, divulgou um relatório dizendo: ‘parem o desmatamento no mundo e evitem o consumo de carne’. Eu digo: não comam carne porque a gente está se destruindo”, reforçou.

O debate, que está disponível no Facebook da Agência de Notícias de Direitos Animais, do eurodeputado Francisco Guerreiro e do deputado David Miranda, foi acompanhado por internautas que fizeram mais de 100 comentários de comentários nas redes sociais em apoio à união de ativistas contrários à devastação do meio ambiente.

A iniciativa também foi vista como essencial pelos propositores dos debates, Francisco Guerreiro e Silvana Andrade, e pelo convidado David Miranda. De acordo com Guerreiro, “esta conversa veio mostrar-nos a urgência que temos em agir”.

Jornalista Patrícia Matos (Foto: Reprodução/Instagram)

“Não podemos ficar a ver o património de todos ser destruído, sem nada acontecer. A Europa está muito distante desta realidade e, infelizmente, pouco atenta ao que se passa do outro lado do Atlântico. São precisas pessoas que lutem pelo ambiente e pelos animais. Estamos juntos, Silvana e David”, afirmou o eurodeputado em entrevista à ANDA.

A análise do eurodeputado acerca do debate foi fortalecida pelo posicionamento de David Miranda, que disse à ANDA que o encontro foi muito importante e que é preciso avançar “no sentido de construir um documento e constituir um grupo de atuação Brasil, Comunidade Europeia e Estados Unidos para denunciarmos as medidas do governo que são prejudiciais à humanidade e ao meio ambiente. Assim, poderemos buscar soluções juntos internacionalmente”.

A presidente da ANDA também considerou o debate produtivo e pontuou a necessidade de “colocar em pauta assuntos de extrema importância e repercussão internacional que estão acontecendo no Brasil”. “Precisamos de união para que a gente possa combater esse processo sistemático de destruição ambiental orquestrado pelo governo Bolsonaro que vai ter, a médio prazo, consequências graves para a economia do Brasil”, concluiu.

Confira o vídeo do debate:

 

Lê a notícia aqui


Partilhar artigo

A ler também...

Notícias ao Minuto: 'O trabalho que apresento é a prova de que no PAN havia condicionamento'
  • Notícias ao Minuto
  • Notícias ao Minuto: 'O trabalho que apresento é a prova de que no PAN havia condicionamento'

    Quarta-feira, 14 de Abril de 2021

    LER MAIS
    EU For Animals: 'Francisco Guerreiro apoia a #EUforAnimals'
  • Geral
  • EU For Animals: 'Francisco Guerreiro apoia a #EUforAnimals'

    Segunda-feira, 12 de Abril de 2021

    LER MAIS
    CIHEAM: 'FAO Brussels Dialogue Strengthening family farming-centred food systems'
  • Geral
  • CIHEAM: 'FAO Brussels Dialogue Strengthening family farming-centred food systems'

    Sábado, 10 de Abril de 2021

    LER MAIS
    ONGD Plataforma portuguesa: 'A Alimentação que Queremos | Ciclo de Webinars - Desenvolvimento Global: Agir ou Reagir?'
  • ONGD Plataforma portuguesa
  • ONGD Plataforma portuguesa: 'A Alimentação que Queremos | Ciclo de Webinars - Desenvolvimento Global: Agir ou Reagir?'

    Quinta-feira, 08 de Abril de 2021

    LER MAIS
    Observador: 'Dar o máximo pela década do clima'
  • Observador
  • Observador: 'Dar o máximo pela década do clima'

    Terça-feira, 06 de Abril de 2021

    LER MAIS
    Rádio Elvas: 'Parlamento Europeu Jovem Portugal vence Prémio Carlos Magno'
  • Rádio Elvas
  • Rádio Elvas: 'Parlamento Europeu Jovem Portugal vence Prémio Carlos Magno'

    Sexta-feira, 02 de Abril de 2021

    LER MAIS
    Proveg: 'EU’s plant-based censorship amendment to be discussed on 26 March - And consumers have voted 'no''
  • Geral
  • Proveg: 'EU’s plant-based censorship amendment to be discussed on 26 March - And consumers have voted 'no''

    Quinta-feira, 01 de Abril de 2021

    LER MAIS
    Food ingredients first:'Amendment 171: 34 politicians protest plant-based dairy censorship in European Parliament'
  • Geral
  • Food ingredients first:'Amendment 171: 34 politicians protest plant-based dairy censorship in European Parliament'

    Quinta-feira, 01 de Abril de 2021

    LER MAIS
    Compassion in World Farming: 'EU Parliament Fisheries Committee to Launch a Welfare-study'
  • Geral
  • Compassion in World Farming: 'EU Parliament Fisheries Committee to Launch a Welfare-study'

    Quinta-feira, 01 de Abril de 2021

    LER MAIS
    Proveg: 'Open letter: More than 420,000 EU citizens call on EU to reject amendment 171'
  • Geral
  • Proveg: 'Open letter: More than 420,000 EU citizens call on EU to reject amendment 171'

    Quarta-feira, 31 de Março de 2021

    LER MAIS

    mais notícias